novembro 27, 2015

7 Formas para pararmos de criticar o nosso corpo


Entenda quem conseguir, que eu não entendo apesar de o fazer, mas somos os primeiros a criticar-nos, a deitar-nos abaixo e a destruir a nossa confiança. E esta tendência à auto-crítica, é algo que por vezes nem nos apercebemos mas por vezes é uma constante. Para mim é. É super fácil para mim ver todos e mais alguns defeitos em mim mesma e ralhar-me mentalmente e por-me para baixo. Ora isto não é saudável e a bem ver, não faz sentido nenhum. Como parar isto?

1. Somos um todo - e isto é claro que vai além da nossa aparência. Só porque tenho uma pele super oleosa, não quer dizer que não tenho um cabelo lindíssimo. Pode haver sempre algo menos bem mas isso não significa que tudo seja mau não é verdade?

2. Não nos devemos comparar com outros - é simplesmente ridículo e devemos sempre ter consciência que cada um de nós tem os seus próprios demónios.

3. Exercitar para ter energia - nada como o exercício para ficarmos bem dispostos e orgulhosos por nós mesmos. Claro que há que fazer uma cuidada análise das expectativas.

4. Tratar o nosso corpo com respeito - não podemos esperar milagres, por mais que o neguemos, o nosso corpo é aquilo que nós fazemos dele

5. Comer com consciência - claro que bolachinhas são óptimas mas para constatar isso não é preciso comer o pacote inteiro. Há dias em que sabe tão bem uma sobremesa, mas dia não são dias...

6. Sorrir mais - é contagiante! sorrir ao espelho faz-nos sentir melhores connosco mesmos :)

7. Vestir para o nosso corpo - eu gostava muito de vestir vestidos super justos, a sério que gostava mas não dá! Não tenho corpo para isso e se por acaso vestisse, certamente que não ia gostar de ver, porque simplesmente não é o tipo de roupa adequado para mim! Se vestirmos consoante o nosso corpo, é impossível não nos sentirmos bem.

AMEM-SE!!!

Pin It Now!

5 comentários:

  1. Estou contigo! São dicas essenciais para sermos mais felizes!
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Epah, tal e qual, só que por vezes as pessoas não se valorizam o suficiente para conseguirem ver estas pequenas coisas...

    ResponderEliminar